Educação digital e a Geração Z: como educar sobre as novas tecnologias pode transformar o ambiente digital

Desafios demandados da evolução tecnológica expõem a escassez de profissionais na área da segurança cibernética

Uma geração sempre conectada, que usa a internet e a tecnologia como ferramentas essenciais do dia a dia, seja para estudo, trabalho ou diversão, essa é a Geração Z. E uma geração tão tecnológica e que depende tanto da internet precisa entender os limites e perigos do ciberespaço, por isso a educação digital é tão importante.

A pandemia da Covid-19 mostrou como estamos sujeitos a ataques e invasões cibernéticas. Quando todo mundo passou a trabalhar e estudar em casa, as redes corporativas se misturaram com as domésticas, facilitando ações criminosas. Conhecer como funciona o ciberespaço, seus perigos e segredos é essencial e um mercado promissor. Além disso, a pandemia também acelerou algumas tendências, como a explosão da quantidade de dados, o que envolve diversas atividades do mundo tecnológico, como a Inteligência Artificial. E isso traz complexidades relacionadas à privacidade, segurança e gestão desses dados. “Dados são combustível para a Inteligência Artificial e várias outras atividades do mundo tecnológico, então, precisamos aprender a lidar com essas complexidades relacionadas à privacidade, gestão e governança desses dados, com a segurança deles”, afirmou Fabricio Lira, palestrante e executivo nas áreas de Inovação e Inteligência Artificial na IBM, líder mundial em Tecnologia da Informação.

O Curso de Graduação em Defesa Cibernética da Faculdade IBPTECH, em formato EaD, traz toda a bagagem necessária para se entender o ciberespaço, com uma grade curricular montada exclusivamente por profissionais atuantes na área e que conhecem as demandas do dia a dia. Sua estrutura foi concebida para que o aluno aprenda de fato com diversas habilidades, inclusive com laboratórios nacionais e internacionais para o exercício do aprendizado na prática. O curso é totalmente inclusivo e pode ser feito por qualquer pessoa que goste do assunto e queira adentrar na área da segurança do ciberespaço.

“Nós buscamos desenvolver um currículo que fosse adequado à atualidade, que não se iguala a nada que tenha no mercado, porque ele foi feito exclusivamente por profissionais que atuam na área e sabem as demandas do dia a dia e o que acontece, o que de fato é demandado quando um incidente de segurança acontece. Nosso currículo foi desenvolvido com um único objetivo, formar uma base sólida, técnica e ao mesmo tempo humana e ética”, explicou Jefferson Hengles, Coordenador da Graduação em Defesa Cibernética. A ideia é formar profissionais do futuro com conhecimento técnico, mas ao mesmo tempo humanos e preocupados com questões sociais, éticas e ambientais, tudo a partir de uma tecnologia totalmente inclusiva, com estudo de qualidade e ações de educação digital.

O Curso de Graduação em Defesa Cibernética da Faculdade IBPTECH  obteve o elevado conceito 5 do MEC e tem o intuito de formar profissionais do futuro de excelência, preocupados com questões sociais e ambientais. E mesmo que o aluno não tenha conhecimento na área, o curso pode ser feito por qualquer pessoa, uma vez que ele não é voltado apenas às pessoas do nicho e pode ser feito em qualquer localidade .